28.3.16

Resenha - Vinte garotos no verão



Hey Mentes, como estão? Hoje tem resenha de um livro incrível ( todos são incríveis na verdade - risos) Vinte garotos no verão de Sarah ockler, um livro sobre amor, amizade, perdas e recomeços, um romance que vai virar seu queridinho. 
Confiram a resenha! 

Vinte garotos no Verão 
Autor: Sarah Ockler 
Editora: Novo Conceito
Páginas: 288
Classificação: 5/ 5 

Sinopse: Quando alguém que você ama morre, as pessoas perguntam como você está, mas não querem saber de verdade. Elas buscam a afirmação de que você está bem, de que você aprecia a preocupação delas, de que a vida continua. Em segredo, elas se perguntam quando a obrigação de perguntar terminará (depois de três meses, por sinal. Escrito ou não escrito, é esse o tempo que as pessoas levam para esquecer algo que você jamais esquecerá).

As pessoas não querem saber que você jamais comerá bolo de aniversário de novo porque não quer apagar o sabor mágico de cobertura nos lábios beijados por ele. Que você acorda todos os dias se perguntando por que você está viva e ele não. Que na primeira tarde de suas férias de verdade você se senta diante do mar, o rosto quente sob o sol, desejando que ele lhe dê um sinal de que está tudo bem.

Resenha: 
Sarah Ockler escreveu um livro maravilhoso sobre amor, perdas, amizade e recomeços. Um título que leva o leitor a pensar uma coisa, mas que será conduzido por outro caminho já nos primeiros capítulos, vai ser impossível não se apaixonar por esse livro. 
Anna Reiley sempre imaginou sendo beijada por Matt Perino, seu melhor amigo e irmão de sua melhor amiga Frank. 

"Não se mova, Anna Reiley. Nesse instante tudo é perfeito."

Anna nunca contou para Frank sobre seu maior desejo, uma daqueles pedidos que fazemos ao cortar o bolo de aniversário, e finalmente no aniversário de quinze anos o pedido se torna realidade, Anna Reiley  e beijada por Matt Perino, eles iniciam um romance, mas Ana nãos se sente confortável em esconde de Frank, então uma promessa é feita, Matt vai contar para Frank antes de ir para a faculdade no final do verão, mas o destino tem outros planos para os três jovens amigos. Um acidente muda o rumo da trama, Matt morre no acidente. 
Agora Anna está de luto, mas ninguém pode imaginar a proporção de sua dor, além da dor da perda ela se sente culpada por não ter contado a Frank, sobre ela e Matt. 

Após um ano da tragédia Anna e Frank estão planejando o melhor verão de todos os tempos. A família de Frank vai viajar para a baia Zanzibar, Anna embarca junto com a família Perino para a melhor viagem de todas, Frank está transformada após m ano da tragédia, está fumando, usa sempre maquiagem, vive a vida loucamente, já Anna ainda está de luto. 
Entre as coisas malucas para o melhor verão de todos os tempos, a atividade número um é Anna perder a Albatroz, isso mesmo elas deram um nome para a virgindade da Anna, e Frank dá um prazo para ela perder, ou seja no M.V.T.T( Melhor verão de todos os tempos).  Outro item peculiar da lista é conhecer 20 garotos ao longo do verão. 

A viagem parece uma ótima oportunidade para tirar Matt de seu interior, mesmo que para isso sejam necessários vinte garotos. 

“ Ás vezes acho que nos sentimos culpados por estarmos felizes, e, assim que nos pegamos agindo como se tudo estivesse certo, alguém se lembra de que nada está certo”

A narrativa de Sarah é fluida, acompanhamos os pensamentos e sentimentos de Anna, o leitor sente sua tristeza por esconder algo de sua melhor amiga, seus dilemas e medos são compreensíveis. Em alguns momentos eu quis esganar Frank, principalmente quando ela descobre sobre Anna e Matt, ela teve uma reação exagerada, mas Anna foi paciente e super compreensiva, coisa que poucas pessoas seriam. 

Todos os personagens amadurecem muito ao longo do livro, cada um deles foi afetado de uma forma, é um livro sobre amizade, amor, perdas e recomeços, sobre entender o outro e sua dor. 
Um livro que mostra como a vida é frágil, em um segundo estamos bem no outro não estamos mais aqui. 

Amei a narrativa sensível de Sarah, os capítulos bem definidos. O título que deixa o leitor pensar uma coisa e o leva para outro caminho, você vai vir, vai se emocionar, vai se apaixonar por Matt e desejar ter um verão tão bom e tão louco quanto o das amigas Frank e Anna. 

Ele adorava ler. Ele adorava palavras, 
a forma como elas se reúnem em frases e histórias. 
E queria estudá-las, conhecê-las, criá-las, compartilhá-las com o mundo. [...] 
Lia com intensidade e se apaixonava por todos os personagens, 
pela reviravolta na história ou pela linguagem utilizada. 
Fazia os personagens ganharem vida para nós, 
como se não estivesse lendo um livro de ficção, 
e sim contando histórias sobre os próprios amigos."

"Por mais de um ano as cartas foram minha única conexão com ele, a única prova de que nosso breve período juntos não foi outra coisa." 

A capa está maravilhosa e tem um significado no livro maravilhoso, quem fez a capa, pegou a essência da história e deixou transparecer para todos que olhassem a capa. 

Um livro incrível que se tornou um dos meus favoritos! 

Abraços literários e até a próxima! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leia também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...